domingo, 7 de abril de 2013

Mirtilos - Formação avançada ... dia 3

 
O último sábado de formação sobre mirtilos  já deixa saudades. Saudades pelo grupo, pelas discussões, pela aprendizagem e pela envolvência das origens de cada um dos formandos e formadores.
Abriu a sessão o Engº Juan Carlos do SERIDA (Serviço Regional de Investigação e Desenvolvimento Agroalimentar), organismo público Asturiano. Este multidisciplinar (investigador/técnico/produtor) formador, também com ligações a uma organização de produtores " Asturian Berries" abordou o cultivo dos mirtilos na Astúrias, frisou aspectos relacionados com a fertilização, rega, colheita.... Abordou também o comportamento de algumas variedades, estabelecendo um paralelismos entre o comportamento das mesmas nas Astúrias e em Portugal.
Segui-se o Eng.º Mathieu Billote - Multibaies - "The best varieties of blueberries to produce in Portugal" . Questões como a propagação por estaca ou in vitro foram abordadas e as questões relacionadas com a fitossanidade e os cuidados a ter na escolha de uma boa planta também. Outro aspecto foi a questão problemática de algumas variedades que já apresentam mutações genéticas consideráveis devido a uma proliferação sem controle de viveiristas (pseudoviveiristas) pouco cuidadosos, que fez com que algumas variedades já tenham muitos clones (Brigita, por exemplo).
A Eng.ª Adelina Freitas da Fresh Factor abordou o mercado dos pequenos frutos em Portugal e no mundo e referiu um dado curioso que tem a ver com os consumos. Em portugal o consumo per capita está nas 2 gramas e nos EUA está nas 1000 gramas e estão a intensificar e massificar o consumo para que atinja a meta das 1750 gramas per capita. São questões relacionadas com hábitos alimentares, fundamentadas em tradições, que terão que ser melhoradas e desenvolvidas para estimular o consumo interno - mudança de paradigma, portanto!
A finalizar o TOP TEN das comunicações (e isto é apenas uma opinião muito pessoal), em que o formador Rui Rosa Dias - IPAM - falou da diversificação dos canais de escoamento. É também produtor e tem a marca "RBR mirtilos", e foi responsável pela introdução no mercado Português do leite biológico do grupo LACTOGAL. Fez uma abordagem holística, por convicção, e colocou um cunho muito emotivo e pessoal na sua abordagem. Evidenciou nichos de mercado, uma mais valia para o escoamento diferenciado e falou nos vários tipos de mercados e clientes que deverão e terão de ser explorados.... muito bom mesmo!
Bem... terminou.... saldo? Sim, positivo!
 
Saudações Mirtileiras!