sábado, 14 de março de 2015

Projeto EUBerry...

principal objectivo do projecto EUBerry é o de proporcionar conhecimento e ferramentas para o desenvolvimento de pequenos frutos frescos de alta qualidade, tornando-os apelativos ao consumidor pela sua elevada qualidade nutricional para a saúde humana e custo competitivo.

Decorreu em Oeiras e teve uma assembleia muito participada.
Para além dos temas tratados em plenário, esta apresentação de resultados envolveu também a exposição de 26 painéis.
Nas investigações que envolvem as questões técnicas das culturas, penso não haver problemas na difusão da informação, até porque estavam presentes outros investigadores, técnicos e produtores.
Nas investigações relacionadas com os efeitos benéficos que os pequenos frutos têm na saúde humana, nomeadamente na prevenção de algumas doenças neuroinflamatórias, o grande desafio é passar essa informação ao consumidor final e incentivar o consumo regular de pequenos frutos, claro está, que os agentes envolvidos na comercialização têm também um papel fundamental pois serão eles os elos entre o produtor e o consumidor, tanto a nível de disponibilidade como de acessibilidade, já que os preços praticados à produção nada têm a ver com os preços a que estes produtos chegam ao consumidor (ex: preço de mirtilo à produção 4 euros e preço ao consumidor 20 euros).
O Engº Humberto, do Grupo HUBEL, fez uma resenha de como surgiu a HUBEL, como evoluiu e que relações estratégicas estabeleceu ao longo da caminhada para chegar ao patamar que se encontra. Referiu um dado curioso que, com 47 ha de produção, depois do ministério da agricultura, é o empregador com mais técnicos agrícolas no seus quadros, o que revela bem a importância que esta empresa dá ao conhecimento técnico!
Foi também colocado um desafio final à mesa redonda, composta por investigadores das universidades (ISA, UTAD, UAlgarve, INIAV, UPorto, UÉvora, ITQB) e cada um deles enunciou o que, na sua ótica, seria um desafio para a investigação futura nesta área. A referir, de forma inusitada e aleatória os mais importantes:
-  substrato para envasar recorrendo  a matéria prima nacional, evitando assim a importações de turfa e fibra de coco;
- Drosophila Susuki - uma preocupação sem solução;
- soluções nutritivas;
- adaptabilidade das cultivares;
- zonagem nacional de culturas;
- novos berries - camarinha.

Este mundo dos pequenos frutos está mexendo e, no meio de tanta asneira que se tem feito, nomeadamente na implementação de projetos, há sempre uma parte que é boa, bem feita e nos dá prazer verificar que é partilhada pelos que realmente querem que este sector tenha sucesso....o outros, os outros nem sequer lá puseram os pés!

Bem haja!





segunda-feira, 2 de março de 2015

INFORMAÇÕES VALORFITO...

Como nota esclarecedora, o Horticularidades comunica algumas informações provenientes do VALORFITO, que deverão ser consultadas em:
www.valorfito.com

Informação 1 - 
INFORMAÇÃO VALORFITO 1 / 2015
SACOS VALORFITO – VALORES DE CAUÇÃO
Os sacos VALORFITO passarão a ter novos valores de caução, a praticar a partir desta data. Os novos valores serão os seguintes:
Saco de 50 litros - 0,50 € (+IVA)
Saco de 115 litros - 1,00 € (+IVA)
Saco de 600 litros - 3,00 € (+IVA)
Lembramos que, tratando-se de cauções, estes valores são FIXOS e só podem ser cobrados por uma vez. Na entrega de um saco cheio, deverá ser disponibilizado um novo saco vazio, da mesma capacidade, GRATUITO.

Informação 2 - 
“O transporte, a efetuar pelos próprios agricultores (ou por conta destes), de resíduos/embalagens de produtos fitofarmacêuticos, desde as suas explorações agrícolas até aos pontos de recolha, disponibilizados pelo sistema VALORFITO, não tem de se conformar com as obrigações declarativas, impostas pelo RBC, sem prejuízo de, sempre que existam dúvidas sobre a legalidade da sua circulação, poder-se exigir prova da respetiva proveniência e destino (vide n.o 3 e n.o 4 do art.o 3.o do RBC)”

Informação 3 - 
ETIQUETAS OBRIGATÓRIAS DESDE 01 DE JANEIRO DE 2015
Há muito que os Pontos de Retoma passaram a receber do Valorfito etiquetas personalizadas para colarem nos sacos respectivos.
Desde dia 01 de janeiro de 2015 é obrigatória a colocação destas etiquetas nos sacos Valorfito antes do seu levantamento pela Egeo.