quinta-feira, 20 de maio de 2010

Crise... qual crise?

Decorre hoje e amanhã em Tomar, no Hotel dos Templários, um simpósio promovido pela ANIPLA, para abordar, entre outras questões, a nova legislação sobre produtos fitofarmacêuticos.
Esperemos que saiam de lá esclarecimentos preciosos, e digo precisosos, tanto pela importância dos mesmos, como pela inacessibilidade aos mesmo...
Explicando: - o valor da participação no referido simpósio, para não membros da ANIPLA, e membros são a grande distribuição, é de 200 euros + 30 para o último jantar. Como janta só quem quer, o que era admissível era o jantar custar 200 euros (o sítio vale bem isso, pelo menos visto de fora) e a inscrição 30 euros. A isso se chamava dar importância ao que é realmente importante (divulgação e esclarecimento pelos técnicos e agricultores pobres), abrangendo assim um enorme universo de interessados (ah, mas já me esquecia, como a sala é pequena, as inscrições são limitadas - não caberíamos lá todos)!
Vejam bem o programa e digam lá se não interessava a muita gente? Mas não, este simpósio é um simpósio de promoção (auto- promoção) e mais um em que uma minoria acha que a importância deles é superior ao dos restantes que justificam o seu trabalho.
Irão falar de formação de agricultores, política agrícola europeia, projecto TOPPS em Portugal, impacto para os agricultores, Directiva Quadro da Àgua - exigências ao nível da actividade agrícola, autorização para o exercicio de distribuição, venda aplicação, fiscalização, etc, etc, etc, etc, etc.
Todas estas temáticas interessam sobremaneira aos técnicos que fazem a divulgação pelos agricultores,aos agricultores, e a muitos pequenos distribuidores que mal conseguem pagar aos técnicos responsáveis, por isso acho um exagero o preço da inscrição. Por isso eu, que tão triste cá fico porque sou teso, espero que os felizardos que lá estão me venham contar o que se por lá passou...
Louvo a iniciativa do simpósio, sem dúvida, critico o preço, afinal somos um país de tesos a trabalhar numa agricultura pobre e sem grandes horizontes presentes....
Bom simpósio!!!!

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Resíduos de Embalagens Vazias


Decorre durante o mês de Maio de 2010 o 1ºperíodo de recolha das embalagens vazias de produtos fitofarmacêuticos.
Estas embalagens deverão ser entregues num centro de recolha autorizado (quase todas as casa comerciais que vendem PF´s também recolhem), existindo para isso sacos próprios da Valorfito em três tamanhos. Os sacos deverão apenas conter embalagens de PF´s, qualquer que ela seja, até 250 Kg/L, exclusive. As embalagens rígidas inferiores a 25 L/Kg deverão ser lavadas 3 vezes e a água de lavagem utilizada na preparação da calda. Em seguida serão fechadas e inutilizadas e colocadas nos respectivo saco.
Qualquer centro de recolha será obrigado a aceitar as embalagens mesmo que o agricultor nunca lá tenha comprado nada! No final terá que ser entregue, por parte do centro de recolha, um comprovativo em como o utilizador final entregou as embalagens vazias e deverá também o centro de recolha entregar ao agricultor sacos vazios iguais na tipologia e número dos sacos entregues com as embalagens.
Esta prática é uma obrigatoriedade ao coberto do Dec. Lei 187/2006 de 19 de Setembro.
Por si, por nós, por todos... entregue as suas embalagens vazias num centro de recolha autorizado!